sábado, 27 de dezembro de 2008

Super-mega-ultra-gigantesco Ego.

Por um período, não diria longo, mas chamaria de fase da minha vida, sempre estipulei adjetivos negativos sobre mim, como uma pessoa insuportável de conviver e nada bela de aparência. Considerava-me alguém chato. Até que um dia me posicionei em frente ao espelho, e olhei mais profundamente, analisando criticamente o meu ser. Logo percebi nada passava de receio da minha imagem transmitida, imaginada e pensada por terceiros. Comecei a aceitar elogios, com o mesmo gosto em que se recebem flores, e guardá-los numa caixa invisível que denominei de ego. Meu gosto por mim, foi aumentando, bruscamente, perceptivelmente. E a cada passeio, roupa que visto, ou coisa que faço, crio mais admiração por esse ser, eu. Para uns, esnobe, se acha ou é metida demais. Discordo. Antes de tudo vem o amor próprio, me apaixono todos os dias por mim mesma.


Ps: Só pra concluir, sou linda, linda.Todos me amam (é pra descontrair,ou não)

4 comentários:

Lana disse...

só diria uma coisa, você é crent, crent,crent!

Sααм disse...

ADOREI.
o amor-proprio nao fere ninguem, e faz bem á gente.

Viva a uto-estima õ/


PS.: eu não tenho peitos. mas também sou linda!


;D

milla ila. disse...

CREEEEEEEEEEEENT. rs

Bárbara Rodrigues disse...

testando.