terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Cheia de lorotas.

Os teus beijos eu dispenso
Minhas mãos prefiro soltas
Saudade já nem sinto mais
Tudo lorota

O seu sorisso não recordo

Voz agora virou ruído
Sonhos são passado
Tudo lorota

Ainda que tudo passe

e o coração esvazie
Lembra-te-ei.
Lorota, isso aqui não.

2 comentários:

Lana disse...

barbara diz: `nao sei escrever poemas`
-q

ciro farias disse...

tudo lorotaa