quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Dedico a ti, André.


Ao que escrevo, não sei por que escrevo, só sei que tive vontade. Eu que nunca fui muito de me abrir por completo, nem fazer muitas demonstrações de carinho, estou aqui, tentando falar de você. Nada de dezoito segundos, minutos, horas, dias ou meses, são anos, dos quais subtraía três, para dar minha convivência contigo. E poderia dizer, sem delongar demais e sem puxar saco, que poucos irmãos têm uma relação tão boa assim, cheia de paciência, companheirismo, amizade. Sim, você é meu amigo, tenho orgulho em dizer isso.
Surpreendo-me a cada manhã que acordo, com sua mente brilhante, não só brilhante, mas acho que um pouco teimosa e do contra, como eu. Talentoso, habilidoso, desajeitado para outras coisas (por exemplo, garrafas de refrigerante).
Graças a ti ou por culpa sua que sempre tive bom gosto para grande parte das coisas do planeta. Uma hora dessas, eu poderia estar num show de FORRÓ DA PEGAÇÃO, já parou para pensar? Pois é, a ti, só tenho a agradecer, por cada sorriso, a ceder, me ajudar, pseudo-dividir o seu quarto e reclamar, por você adorar carinhos estranhos, como mexer no meu cabelo e me cutucar, ou apertar as minhas bochechas.
Parabéns e que nessa maior idade, venham novas experiências, aventuras, sucesso, felicidades. Não tenho mais o que dizer, só mais uma coisa, não poderia esquecer: Te amo.

"Alegria é olhar pro teu sorriso e ter você sempre ao meu lado"

Um comentário:

ciro farias disse...

Todas as pessoas que completam 18 anos, e eu tenho uma relação mais íntima, eu digo sempre a mesma coisa, e com André não poderia de ser diferente! Ele já pode ser PRESO! cuidado