quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Pegada mágica.

Nunca quis me apaixonar, não havia alguma em aumentar a quantidade de dopamina ou feniletilamina dentro do meu organismo. Para mim, esse estado é um tanto quanto, desculpe o termo, idiota. Beijava no mínimo cinco mulheres por noite, devido a minha carência física, porém jamais emocional. E o pior de tudo: por tentar ser simpático, dava meu número de telefone e todas me ligavam no dia seguinte, coisa totalmente desistimulante para quem é seguidor do desapego.
Certo dia, minutos de sair para aproveitar a noite de sábado, cansado dessa deprimente, pensei: hoje darei um jeito de fazer essas mulheres grudentas saírem do meu pé, preciso só arranjar uma cantada infalível.
Então fui, cheguei chegando, pedi um drink, comecei a flertar as mais sedutoras. Mirei em uma a qual tinha o olhar mais profundo e inspirador que eu já vi. Aproximei-me, segui o ritmo frenético da música, beijei seu rosto e sussurrei: Que tal uma pegada mágica? Ela não entendeu, precisei complementar: Eu te pego e depois você some! Sem mais meias palavras e logo nos beijamos por alguns instantes. Acontece que ela obedeceu, sumiu logo após. Nem sequer pediu meu telefone, então não me ligaria no dia seguinte. Não sei o porquê, mas a esperei a noite inteira pelo seu regresso. Creio que minha mente havia sido dominada pelas malditas substâncias da paixão.
Ao amanhecer, ligo a televisão para assistir ao noticiário: "URGENTE! Mulher desaparece após ir a boate aqui na cidade". Mostram sua fotografia. Era ela. Maldita cantada!

Créditos da cantada à tuzinho =)

2 comentários:

Camila Azevedo disse...

"Créditos da cantada à tuzinho" Não podia faltar :P

Homem das cavernas. disse...

Texto legal, e viva o desapego, ou não... uahauh