sábado, 29 de março de 2008

Alma feminina


Há homem que diga: ô sexo frágil
Tratando como na pré-história
Pensando de maneira ilusória
Além de não lembrar quão é versátil

Há homem que trate com amarga tolerância
Por não saber como tratar
Tenha um olhar de doce insignificância
Por medo de se apaixonar

Há homem que negue que pensa
Na dona da maternidade e estranhe
E que por pior que seja, sonhe
Com um sorriso de princesa.


Ainda há o que saiba: luxo e delicadeza
Que veja mesmo sem enxergar, sutileza.
E espione o que a nós mulheres pertence
A alma feminina, que nenhum homem vence.

Bárbara Rodrigues

5 comentários:

Natyy disse...

Affz, né isso...

Ameii o poemaa! *-*

Brigada pelo comentario. xD

;**

° Bah ° disse...

adorei o poema,moça!!
=]

to divulgando o meu,
se puder comentar la eu agradeço!

tb to procurando parcerias pra troca de links,
se interessar,me fala!

beijos

Catarina disse...

Oiee

legal a poesia.. uehuehuhe

beijos

mistureba.zip.net

visita o meu tbm

° Bah ° disse...

pow,a clarice lispector eh otima!!
leia...
comece por "a hora da estrela"
impossivel naum virar fã dela!=]

adooooro essa poema!

obrigada pela visita,volte sempre q puder!!

:*

Natyy disse...

kpoakspoakpoakspoaks'

Coooooom certeza...
xD

;**