domingo, 23 de março de 2008

A garota dos doces

Todos os dias, naquelas primeiras horas que iluminavam a manhã, o galo daquela pequena cidade cantava e a pequena garota de longos cachos ruivos, transformava seus desejos em doces.
Ela preferia trabalhar em chocolates, aquele aroma de cacau a encantava e ninguém conseguia superá-la ao preparar os doces, ficava como se estivesse hipnotizada.
Rodeava-se de pensamentos doces, assim como o produto que suas mãos manipulavam com enorme prazer, pois o dinheiro que conseguia com a venda, era usado para contribuição em casa.
Porém, por vezes, a fúria daquele momento fazia a pequena garota começar a ser atormentada por sua indignação e de uma maneira quase que mágica, seu chocolate muda violentamente.
Seus sentimentos e sonhos ficavam presos ao chocolate, e quem os ingeria, tinha tais desejos realizados. Então, quando o “encanto” a envolvia, eles ficavam impregnados com uma energia bela e positiva, enquanto os outros, resultado dos momentos de "fúria", acabavam saindo terrivelmente amargos.E a pequena garota acabava comendo-os, já que não vendia os chocolates “mal-sucedidos”, e como sua renda não era das melhores, na verdade, mal dava para pagar a produção dos chocolates.
A amargura tomava conta da moça, com amargura era o único jeito que sabia viver. Pensava na felicidade para todos, só não tinha crendice em sua própria felicidade. Achava que o destino lhe pregava tal condenação. Todos os seus desejos acabavam por se realizar com suas amigas e pessoas as quais vendia seus bombons.
Continuou sendo assim por muito tempo, cada vez mais a amargura tomava conta dela, até que certo dia, as primeiras horas do dia não foram as mesmas, o galo da cidade não cantou, e o mais estranho, a garota não transformou seus desejos em doces como de costume. Ouvia-se apenas o barulho de pequenos passos e um vulto distante. Depois desse dia, ninguém mais viu a pequena garota, a única coisa que foi encontrada foi uma cesta, na porta da sua antiga casa com um bilhete dizendo o seguinte: “Os sonhos são, por definição, amaldiçoados com uma vida breve.”.
Se houvesse sonhos para vender, que sonho comprarias?

Bárbara Rodrigues

2 comentários:

Lana disse...

a menininha morreu? sumiu? o que houve com a linda ruiva?
*: babi e seus textos, eu gosto tanto deles!

Natyy disse...

Tipo.. Ela morreeeeeeu, Babi? ; ;

Mesmo assim gostei.. xD

beeeeeeijoS!
;**